Find Us Online At
iBookstore
Android app on Google Play
Like Us
Funded by
O Universo tem um passado tenebroso
12 October 2011

Alguma vez acordou de manhã e viu lá fora uma intensa neblina com aspeto sombrio, mas de repente o Sol rompe e rapidamente, tudo fica límpido? Bom, algo de muito parecido sucedeu ao universo quando era muito jovem. Quando se formaram as primeiras estrelas e galáxias, o universo estava cheio de um nevoeiro muito denso de hidrogénio gasoso que travou a luz estelar na sua viagem pelo espaço. A imagem em cima, mostra através de um desenho elaborado em computador, a visão de um artista de como seriam estas primeiras galáxias.

As primeiras estrelas do universo eram gigantes. “Cerca de 100 vezes mais massivas que o Sol,” segundo o astrónomo Eros Vanzella. Estas estrelas emitem uma luz muito forte no UV (conhecemos a luz UV como a responsável por nos bronzearmos). Esta forte luz UV em determinado momento limpou a neblina e permitiu que a la luz estelar viajasse sem obstáculos pelo espaço.

Recentemente, os astrónomos utilizaram um telescópio chamado “Very Large Telescope” (Telescópio Muito Grande), que está situado no Chile, um país na América do Sul, para olhar para o passado e puderam observar algumas destas galáxias da época em que o espaço se “limpava” desta neblina. (Para aprender como podem os astrónomos olhar as galáxias do passado, clique aqui)

Os astrónomos notaram algo surpreendente. No curto espaço de tempo entre o nascimento das galáxias mais velhas e as galáxias mais jovens, observadas neste projeto, o universo passou de muito nebulado a praticamente límpido. Isto sucedeu “mais rápido do que os astrónomos tinham pensado anteriormente,” referiu a astrónoma Laura Pentericci.

Facto curioso

apesar das galáxias que os astrónomos observaram serem das primeiras a formarem-se, nasceram quando o universo tinha entre 780 milhões y 980 milhões de anos! Mas como o universo tem 13.700 milhões de anos, antes dos 1000 milhões de anos são consideradas umas bebés!

Share:

Images

unawe1137
unawe1137

Printer-friendly

PDF file
991.1 KB